top of page
Blog.png
  • Foto do escritorKAREN BRITTO

Cirurgia vascular: A primeira ida ao consultório

Atualizado: 10 de mai.

Hoje vamos falar sobre as principais dúvidas e sobre a importância da consulta com um cirurgião vascular.

Olá, meus pacientes. Na verdade, nem sei se devemos nos tratar com esta formalidade toda, pois desejo que tenhamos liberdade de conversar conforme amigos. Claro, sempre mantendo o respeito e a cordialidade que a relação pede, mas que possamos conversar sobre os seus desejos, anseios, metas e planos sobre como chegar lá.


Hoje vamos falar sobre um assunto pouco polêmico, pois haverá textos com mais fogo no parquinho, mas não acredito que essa seja a intenção do nosso primeiro contato.

Então, sobre o que será nossa primeira conversa? Sobre o assunto mais falado de todos os tempos: a CAMPANHA DO AZUL E VERMELHO – que é a campanha de conscientização das doenças vasculares da Sociedade Brasileira da Cirurgia Vascular (SBACV).


Em primeiro lugar, muitas pessoas não sabem o que faz um cirurgião vascular e acabam negligenciando doenças muito importantes, por exemplo, varizes.

Nossos vasos não são como vasos, não são como canos de PVC, apesar de transportarem líquidos, eles têm fenestras e quando estas veias param de funcionar adequadamente, é como se esse líquido ficasse mais retido para baixo, fazendo com que ele possa extravasar para a pele e levar a consequências, incluindo até a feridas.

Isso estamos falando do dia a dia da cirurgia vascular, dos 80% dos casos dos pacientes que visitam o nosso consultório tendo as mais variáveis queixas: desde peso, cansaço, dor ao fim do dia, câimbras, etc.


Mas precisamos saber que a doença que mais mata no mundo é a ATEROSCLEROSE, que é o acumulo de gordura dentro das artérias levando ao entupimento - sendo que 463 milhões de pessoas no mundo tem diabetes e 1,2 bilhões tem hipertensão arterial – logo, essas são pessoas candidatadas para acompanhamento próximo e rigoroso com o cirurgião vascular, tanto pelo risco de infarto cerebral, por causa de acúmulo de gorduras dentro as artérias que levam sangue para o cérebro, assim como infarto das artérias que vão para nossos órgãos e membros.

Em resumo, TODOS temos direito a uma consulta, ao menos uma vez com o cirurgião vascular – tanto para retirarmos nossas dúvidas sobre tantos mitos existentes, como para identificação de fatores de risco e prevenção de possíveis doenças e sequelas

Reparem na quantidade de sangue que passa numa artéria limpa e numa toda cheia de gordura!

Então vamos lá, vamos pensar juntos na nossa primeira consulta, eu preciso saber tudo sobre a sua vida, desde os antecedentes familiares, até os hábitos de vida. Ou seja, eu preciso saber desde os seus os seus pais, se eles já tiveram uma doença grave, até você, se já teve alguma doença ou se já precisou fazer algum tratamento, seja desde um tratamento grave até se faz uso de anticoncepcional ou alguma outra medicação de uso contínuo.

Eu sempre sugiro o paciente escrever uma listinha de todas as suas duvidas. Nunca se preocupe com as perguntas – NÃO EXISTE PERGUNTA BOBA.

Imagina que você é um professor de física, eu não sei muita coisa de física, só o basicão do basicão, você também não é obrigado a saber de saúde vascular, sou eu quem tenho que tirar as suas duvidas, seja elas quais forem.


Mas eu não sinto nada, eu não tenho sintoma, será que eu preciso ir à consulta com a cirurgia vascular?

A resposta será sempre sim. E vou te elencar uma série de motivos para tal, e não estou falando em ser charlatão prescrevendo tratamentos que você não precisa para criar complicações que você nem tinha.

1. Eu preciso identificar se você tem fatores de risco para começar a investigar determinadas doenças – e não, eu não estou falando em te encher de exames, mas sim conversa e exame físico para entender toda essas situações;

2. Existem doenças assintomáticas, ou seja, não te fazem sentir nada e estão ai acontecendo – e quando ver, já aparecem como uma doença preestabelecida e com sequelas, vou dar um exemplo: corona flebectatica.


Mas o que é isso?

Mas Dra Karen, isso no meu pé não é só estética?

Não! Essa é uma lesão grave e pode ser pré-ulcerosa, chamada: corona flebectatica. É uma dilatação dos vasos intradérmicos que acabam tendo um alto fluxo neste local, levando a alterações de pele que podem culminar com fibrose (dermatolipofibrose) local e uma ferida – agora: você já imaginou estar lá levando a vida, indo tudo bem, ai quando percebe o pé começa a ficar escuro, a pele vai ficando duro e surge um FERIDA! Segundo Jean-François e colaboradores em 2005, já é afirmado em um grande estudo que é uma lesão grave, indicando um distúrbio grave do sistema hemodinâmico venoso¹.


Dra Karen, mas eu não tenho nem essa lesão aí no meu pé, por que eu vou te consultar? Não é só porque eu sou legal e tenho piadas ótimas (apesar de elas serem mesmo) e nem pelo cafezinho que é uma delícia. Mas é para eu te mostrar como funciona o seu corpo. Hábitos que você deve estimular e hábitos que você deve evitar, pelo menos, em excesso.


A consulta com a cirurgiã vascular vai te ajudar a entender seu corpo e entender nosso corpo é a primeira forma de evitar que problemas surjam. E se surgirem, que percebamos o quanto antes para a intervenção, se for preciso e que seja a mais efetiva possível.

Então estou te esperando no consultório. E aqui na nossa sessão de dúvidas também!


Daqui 15 dias nos reencontramos para novos textos, desde os mais variados temas dentro da cirurgia vascular!

E lembrem-se: não existem temas bobos, todas as dúvidas sempre serão válidas.


REFERÊNCIAS:

1. Jean-François UHL et al. Clinical and hemodynamic significance of corona phlebectatica in chronic venous disorders. Journal of Vascular Surgery. American venous Forum. V 42 (6): 1163-8. 2005

69 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


bottom of page